Páginas

quinta-feira, maio 12, 2016

Pra Não Dizer que Não Falei do Amanhã

Fonte: Google Imagens

Diante de toda essa politica de pão e circo que tanto tem nos afetado chegando ao grande dia onde a conquista democrática do afastamento da presidenta foi concluída me coloco a refletir sobre alguns fatos que são tão descaradamente ocultos por trás do discurso de ódio de alguns políticos que nos representam.
Sabe, quando a presidenta Dilma subiu a rampa do Palácio do Planalto em seu primeiro mandato sozinha, sem um primeiro senhor foi extremamente representativo para mim e milhares de mulheres que criam seus filhos sozinhas, foi a simbologia de que o futuro poderia sorrir até mesmo para quem ousa viver sozinha após o divórcio.  Mesmo com o lindo penteado de Marcela Temer, nada foi tão lindo quando ver uma mulher subindo a rampa e recebendo a faixa de presidente da Republica.
Se apoiava o governo Dilma? Posso dizer que votei nela no primeiro mandato com desconfiança, mas não me arrependi. No segundo mandato já fazia parte da esquerda que se opunha ao governo e suas alianças desastrosas com o PMDB, mas votei novamente nela e não me julguem, afinal, o outro candidato era o Aécio.
Mas tirando sua impopularidade por ela não fazer o tipo de politico que era mãe dos pobres e pai dos ricos, nessa politica populista ultrapassada que o povo tanto almeja ver, qual foi o grande crime de Dilma? Verdade, as pedaladas fiscais que ocorreram não somente nesse governo, mas realmente é uma prática terrível para um governo patriota.
Ao lembrar de como Dilma começou e de como ela vai terminar só vem a minha mente aquela velha história de homens colocando as mulheres em seu devido lugar que, definitivamente não é na politica, ao menos que você seja bela, recatada e do lar, claro.
Todas as pessoas em periferias, em grandes centros ou mesmo em locais públicos festejando a conclusão do processo com fogos e risos, desejo a vocês que amanhã possamos acordar em um paraíso verdejante onde poderemos brincar com leões e feras selvagens, pois Deus será o senhor que guiara a nossa Pátria.
Ironias a parte, toda essa historia me faz lembrar de um livro excelente intitulado Escute, Zé Ninguém de Wilhelm Reich, que narra o desespero do homem que, podendo ser grande, mergulhou na Era do Homem Comum, por medo de assumir sua liberdade e fazer suas próprias escolhas. Nesse livro o autor nos fala sobre como sempre escolhemos o lado mais sombrio para a resolução dos nossos problemas, dando um exemplo esquerdista, como entre a democracia de Lenin, preferiram a ditadura de Stalin. Sempre escolhemos a ditadura por causa desse medo que temos de admitir que somos responsáveis pelas nossas escolhas.
E o que tudo isso tem haver com nossa atual politica? Percebam, não é ruim querer mudanças, mas não podemos continuar fingindo que não somos responsáveis por nossas escolhas.
Sabe, uma menina apanhou de policiais... Deve ter merecido certamente....
As pessoas não são capazes de se solidarizar por uma mulher que foi agredida tamanha é a pulsão de morte que estamos a engrandecer nos nossos dias. 
-Bom mesmo eram os militares no poder para o país ir pra frente. Esse era o tempo bom.
Você, louco por militarismo me diga, o que aprendeu na escola sobre os pracinhas brasileiros? Não é estranho numa ditadura militar com a disciplina de educação moral e cívica, pouco sabermos da importância dos nossos soldados, do nosso exército?
No fundo todos sabem, quem levanta essa bandeira idolatra velhos patéticos que não tiveram a coragem necessária para ir a guerra e ficaram por aqui abusando de pessoas ingenuas como as que soltam fogos diante de uma hedionda politica de pão e circo.
E só para não dizer que eu não falei do amanhã, desejo profundamente que nossa politica e economia melhore como tantos tem pintado que acontecerá, porque mesmo diante de títulos também reconheço que sou uma Zé Ninguém e por ser assim tenho verdadeira vocação para ser feliz, uma vez que reconheço e aceito meus defeitos e sei que minhas escolhas pertencem a mim.
Obrigada Dilma por toda a representatividade que um dia mostrou para todas as mulheres, por sua coragem de não querer parecer bonita, por ter subido a rampa duas vezes segura e sozinha. Através de seus olhos muitas mulheres enxergaram uma nova possibilidade em suas vidas. E mesmo não concordando com você em todas as medidas e alianças, mesmo vendo o seu governo com um tanto de desconfiança não tenho vergonha de dizer: Podem nos derrubar, mas para cada mulher derrotada duas vão se levantar, pois a vida é luta e sempre estaremos dispostas a despertar.
Ao amanhã que ira despertar, boa sorte meu país, já que isso é  tudo o que posso desejar, visto que reforma politica acaba sendo um sonho distante que jamais irão desengavetar.

terça-feira, abril 19, 2016

A Menina dos Meus Olhos





"Que lindos olhos, que lindos olhos tem você
Que ainda hoje, que ainda hoje eu reparei
Se eu reparasse, se eu reparasse há mais tempo
Eu não amava, eu não amava a quem amei"
 (Canção Folclórica)

Há três anos atras eu reinventava minha maternidade e, mais uma vez, dava a luz a uma criança. Que nasceu saudável, forte e bela, dona de olhos tão puros que pareciam enxergar dentro de mim e dizer: - Agora somos eu e você.
Admito nunca antes pensei na possibilidade de ter um outro filho, muito menos uma menina,mas a vida quis me proporcionar uma nova vivencia como mãe, talvez me trazer na maturidade o prazer de poder acompanhar o crescimento de uma pessoa. Meu primeiro filho me trouxe a força que eu não sabia que tinha, me trasformou na mulher que hoje sou e que nunca desiste de dar o melhor de si mesmo quando não acreditam em mim, minha filha me trouxe a serenidade de poder reconquistar tudo que já tinha desistido de ter em vida: casa, parceiro, familia...
Cada filho uma revolução, para cada um ofereci uma conquista pessoal e por todos os dias, mesmo cansada acordo, e tento ser melhor do que no dia anterior,  pois eles me dão força e motivos para sempre ser melhor.
Mas essa menina de lindos olhos e sorriso largo, que é moleca por ter a liberdade de ser criança, que suja de terra, ou correndo de pé no chão, sempre me faz lembrar do porque fiz a escolha por deixar vir ao mundo uma presença tão pura.
Geniosa, no auge dos seus enormes três anos, é capaz de me trasportar para mundos de historias, onde a Bruxa é sempre a personagem principal. A menina que brinca com carrinho de bombeiro e que rouba meus batons, a criança que se veste de princesa Sofia,com um sabre de luz na mão. A essa pessoinha que, em tempo integral, curte sua infância sem medo de ser criança, meus sorrisos mais largos, minhas broncas de coração apertado, meus abraços de boa noite com afago no cabelo.
Pra você, minha pequena, desejo que o tempo sempre preserve o brilho de teus olhos, que a vida nunca apague essa luz brilhante de pureza e felicidade que a cada novo dia, ilumina mais a minha vida.
Parabéns, minha pequenina. Obrigada por trazer equilibrio para minha vida.

segunda-feira, março 14, 2016

A Flor




A FLOR
Acaso um dia daquele vaso brotou uma flor que por um descuido da natureza escolheu ser da cor errada: Vermelha
- Mas acaso podemos controlar a natureza?  Quando ainda eras um embrião optou por seu sexo ou a distribuição de genes lhe definiu?
- Ignorante, ladra...
- Só se for de sonhos que roubei, pois toda a minha história nunca me permitiria ter tudo o que tenho se eu não tivesse a garra e a força para lutar por tudo.
- Tá vendo, você mereceu.
- Na verdade eu conquistei.
- E isso não é merecer?
-Melhor mudarmos de assunto. Sobre isso jamais nos entenderemos e nem precisamos levar,  pois isso é gozar a liberdade que temos.
- Parece tão inteligente,  porque não muda esse jeito de ver as coisas, teria muito mais privilegio e poderia lutar ao nosso lado.
- Não se muda a cor do sangue, assim como não se abandona as digitais.
- Então es uma maldita P************
- Não, sou o que sou,  uma flor abandonada na cela vazia dos desejos de que um dia abram a saia dessa caverna nos dando passagem para um lugar melhor, onde não iremos precisar de ninguém que fale por nós, pois finalmente encontraremos o esconderijo onde prenderam a nossa voz.
- Então você é a pior de todas, uma tola anarquista?
- Diria que sou como Rossi, que na sua perdida Colônia Cecília, não passava de "um pobre idealista perdido nesta terra de ninguém". Mas que jamais deixou de acreditar em uma utopia chamada liberdade.
- Vejo bem,minha cara amiga que tu não tens jeito.
- Não tenho mesmo. Mas,me responda: de que lado fica o teu coração?
- Do lado esquerdo do peito.
- Compreende,meu amigo, no fundo não somos tão diferentes.  Segue tua luta e boa sorte com futuro, porque por trás dele os passos dos que vieram antes de nós  sempre estarão.

sexta-feira, fevereiro 05, 2016

Descontruir

Descontruir uma casa por dentro, arrancar seu teto em um dia de chuva, deveria ser encarrado como loucura, contudo lhes digo: Esse é o inicio da verdadeira libertação.
Você hoje é o que gostaria de ser, ou é um arremedo de caminhos mais fáceis de seguir? Nem sei dizer ao certo quem eu sou, por isso, não precisa me responder, a gente nunca sabe o que poderia ser muito menos onde poderíamos chegar se tivéssemos seguido em outra direção, porque a sedução da escolha não feita e o desconhecimento do que poderia ser.
Devemos ter arrependimentos? Temos que possui-los para um efetivo crescimento, assim como em todas as fases do nosso desenvolvimento o medo se faz presente, desde o nosso nascimento até o nosso ultimo suspiro, colecionar decepções não lhe torna um derrotado, antes te ensina uma forma nova de ser forte, de se reerguer rumo a novas realidades possíveis.
Desconstrução não é uma invenção contemporânea, antes é uma habilidade humana utilizada desde o momento em que, mesmo com medo, o homem decidiu enxergar para além da sombra da caverna.
Vamos descobrir, meu caro amigo(a), o mundo juntos, e quando houver tormenta ou dor, vamos permanecer de mãos dadas rumo ao desconhecido, em busca do melhor que podemos ser.

sábado, janeiro 09, 2016

Apenas Começamos

Por muito tempo me senti sozinha, na verdade desde que eu tinha 9 anos sentia um grande vazio em mim,nada parecia me preencher, foi então que comecei a escrever para que em minhas histórias eu pudesse encontrar refúgios seguros para não sentir tamanha e enorme solidão.
Sempre fui tão transparente que ao me ler podiam me enxergar e descobrirem a verdade por trás do meu belo sorriso: eu era sozinha e clamava por atenção.
E na minha dor escrevia, com meus escritos muitos se identificavam, pois no fundo compartilhavamos a mesma dor de um solitário existir. E foi assim que comecei minha saga rumo ao encontro de um companheiro(a). Nunca na vida quis ter um namorado, um marido, isso é fácil de se encontrar. Queria um alguém que pudesse crescer comigo,  dividindo a dor e a rotina e transformando pequenos momentos em pequenas alegrias que completassem a vida dando sentido ao nosso existir.
Foi assim que te conheci e no instante em que percebi que você me completava me entreguei sem medo a essa conquista diária que foi me tornar sua enquanto você se tornava meu. Você me salvou e eu te salvei de um destino lírico de ser apenas o que esperavam de nós: solitários e infelizes, mas sempre dispostos a perceber o melhor que os outros podiam esconder dentro do seu ser.
São cinco anos do resto de nossas vidas, tempo em que eu me entreguei e te recebi. Leis e costumes nunca conseguiram mensurar o que significa essa entrega diária, eterna de acordar no mais negros dos dias e se sentir completa por saber que tenho você ao meu lado.
Em mim um fato, tenho que aprender a escrever não para sentir que eu tenho companhia, não na esperança de que venham me decifrar. Tenho que aprender a escrever para todos aqueles que ousaram me ler e para, quem sabe, entre uma e outra ficção, mostrar aos solitários de coração que as letras podem e devem nos inspirar a procurarmos no mais profundo de nós a claridade de nossos corações, aquilo pelo que vale lutar: a esperança de uma vida que não se configure em branco.
Quanto eu e você, apenas começamos a viver e mesmo no fim de meus dias, tenho certeza que vou te olhar e ver que valeu a pena, cada lágrima, ou sorriso dado ao seu lado,pois tua presença é e sempre será a grande escolha da minha vida.
TE AMO

sábado, dezembro 26, 2015

Liberdade

- Fica, não vai embora a tanto ainda pra gente conversar
- ....
- Vai, me responde, não quero te ver tão triste assim Deixa esses lábios vermelhos como sempre, daquele jeito que eu sempre gostei, mas nunca quis dizer
- ....
- Tentei ser bom para você, alias, fui muito bom para você, Porque me tratar agora com essa indiferença, foi você que pediu por isso.
- ....
- Não vire esses olhos para mim mocinha, você só teve o que mereceu. Teve o que sempre mereceu...

Cansado do dialogo vazio, caminhou até o banheiro para lavar seu corpo. Definitivamente vermelho nunca sua cor, e aquele cheiro animalesco , cheiro de sua mulher, lhe impregnava o corpo e enjoava o seu estomago com tanta força que tinha vontade de vomitar.
Como um ser que ele amava tanto  podia feder daquele jeito, certamente porque ela nunca o ouvia, sempre tentava ir embora, nunca tentava entender que para ele era difícil demonstrar amor, uma vez que nunca soube o que era ser amado, mas isso não mudava o fato de que considera-la especial para ele.
Entrou na banheira e mergulhou fundo permanecendo imóvel enquanto segurava a respiração. Sempre gostou de fazer aquilo, permanecer debaixo da água simulando uma não vida, uma outra vida que não fosse aquela repugnante na qual se via vivendo.
- Se pelo menos o egoísmo daquela mulher não fosse tanto. Será que ela não entende que eu faço tudo que posso e o que não posso por ela? O que mais espera de mim?
-Eu só esperava o seu amor.
Levou um susto com a voz que ouviu, sabia que tinha pedido para aquilo acontecer, mas na hora em que conseguiu o que queria desistiu do seu pedido. Um certo terror tomou conta dele e ele rapidamente se sentou na banheira.
- Você não podia estar aqui?
- Porque não, foi você que me chamou?
- Vai embora.
- Não, quero me banhar com você, que eu saiba você sempre gostou disso.
Começou a desabotoar o seu vestido lentamente deixando, por fim, ele cair no chão mostrando sua lingerie sensual, preta com meias combinando, tinha tudo para ser uma visão sensual, mas naquele momento parecia desoladora, pois seus olhos o fitavam cheio de um vazio que só a indiferença poderia lhe proporcionar.
- Sai, eu quero ficar só.
-Agora é tarde eu nunca vou te deixar só.
Tirou as roupas intimas devagar, para dar um ar de sensualidade, caminhou até a banheira, o olhou bem nos olhos e começou a mergulhar seu corpo na água. Sorriu de um jeito malicioso olhando nos olhos do homem enquanto mergulhava na banheira. Aproximou lentamente seu rosto do dele, beijou seus lábios e em meio a outro sorriso lhe disse.
- Agora vou te mostrar toda a minha gratidão por todos esses anos.
Acariciou o pescoço dele com seus longos dedos , começou a aperta-lo dizendo:
- Isso é por todos os meus amigos perdidos.
Ele arregalou os olhos sentindo a pressão.
-Esse é por todas as vezes em que rasgou minhas roupas e me fez usar o que você queria
Ele se debatia e não conseguia se soltar.
- Esse é por todas as vezes em que eu tive que sentir você me penetrando, me tocando com esses seus dedos sujos, me machucando sem ao menos perguntar se eu queria... Sem ao menos me olhar nos olhos;
Ele começou a se debater com mais força, não conseguia entender como ela tinha ficado tão forte.
- Por tudo o que você me fez passar, por cada hematoma em meu corpo que me fazia sentir vergonha de ser sua, MORRA!!!! MORRA, FILHO DA PUTA!! EU VOU PRO INFERNO, MAS NUNCA MAIS SEREI SEU BRINQUEDO.
Tudo, num repente ficou branco, ele ficou alheio a tudo e num repente o silencio, o vazio......

Quando a policia chegou ela não estava mais molhada, estava perfeitamente arrumada com aquele vestido azul que sempre quis usar, perfeitamente penteada e maquiada com a boca de um vermelho vivo como a vida que sempre desejou viver.

segunda-feira, agosto 10, 2015

Teus Olhos

Ao meu filho, Nicholas
Foto: Cecilia Camargo
 
Há nove anos atrás, depois de doze longas horas de um misto de dor e ansiedade, finalmente chegou o grande momento de lhe conhecer, quando olhou fundo em meus olhos senti um misto de medo e alegria, que parecia me dizer: - E agora?
Não sabia ao certo o que dizer, mas uma coisa era certa, faria sempre o melhor por ti, e estaria sempre ao teu lado. 
No quarto do hospital lhe dei de mamar, a sensação era estranha, sentir o leite brotando, você encostado em meu corpo, tudo era mágico e assustador, e mesmo assim nunca me senti tão feliz. Naquela noite, depois de mamar, dormimos juntos, você com a cabeça em meu peito e toda uma nova vida para se viver.
Foi com você que eu aprendi a ser melhor e vivi momentos simplesmente inesquecíveis, você me trazia a beleza que não existia a minha volta.
Com você voltei a ler livros infantis, reaprendi a cantar com a voz mais suave as canções que sempre gostei de ouvir,  assisti por mil vezes o mesmo filme, só para te ver feliz, estava ao seu lado quando andou, falou, escreveu...  Por um tempo fui tua amiga de brincadeiras, aprendi a jogar bola e video game, brincamos, pintamos, choramos... Mas mesmo em períodos de confusão e dor, lhe olhava dormindo e quando me abraçava, meu peito se acalmava, eras (ainda é) um dos maiores motivos para amanhecer sempre para um novo dia.
Tenho orgulho de olhar para ti e reconhecer em teus olhos  o quanto estas crescendo, como a cada novo dia se torna uma pessoal  melhor e não deixo de me sentir vitoriosa ao saber que muito do que você é vem de mim. Admito que é assustador, por vezes, ouvir argumentações tão profundas e densas que mostras o quanto você está se tornando uma criança a cada dia mais madura e questionadora, a proximidade de um já anunciado caminho a adolescência dos questionamentos, novas experiências e crescimento pessoal.
Como mãe só posso olhar meu menino, que mesmo crescendo em estatura, quando me abraça ao se deitar, volta ser aquele pequenino ser, que com os olhos mais bonitos e expressivos do mundo, lia a minha alma, reescrevendo minha história, resignificando o meu existir.
 
Parabéns filho, por mais um ano de vida, por fazer parte da minha vida, por me proporcionar momentos dos quais nunca abriria mão de viver.