Páginas

terça-feira, agosto 09, 2016

Simplesmente Amor


"...Me apaixonei por um olhar
Por um gesto de ternura
Mesmo sem palavra
Alguma pra falar..."

Na noite em que você nasceu estávamos exaustos, logo que sai da sala de parto dormi com você em meus braços. A primeira coisa que lembro de ti foi de te desenrolar de madrugada e ver você tentando morder as próprias mãos. Mesmo sem conseguir sentar muito bem te coloquei em meus seios e foi assim, que pela primeira vez nossos olhares se cruzaram, o que eu senti, simplesmente amor, de um jeito tão forte e puro que é impossível de explicar em palavras.
Desde então 10 anos se passaram, e hoje olho pra ti com orgulho, és a parte autônoma de mim que caminha tranquilo pela vida traçando o seu próprio caminho, e eu vou assim te seguindo como a mão amiga sempre estendida, o porto seguro para o qual sempre vai poder voltar quando a vida lhe maltratar.
Me orgulho de nossos passos juntos, de poder lembrar cada momento da sua vida, pois sempre estivemos um ao lado do outro. Sei qual sua comida preferida, como gosta de dormir, suas musicas queridas, seus amigos do coração. Me emociono de lembrar de seus primeiros passos, de lembrar da primeira bolinha que desenhou com o lápis de cor, da primeira palavra que, entusiasmado leu para mim... Tudo é tão mágico e bonito, tudo é tão pequeno e grandioso ao mesmo tempo, que só o que posso sentir é orgulho de tudo o que já vivemos juntos.
Aquele secreto medo que senti quando você dormiu depois da primeira mamada e eu chorei até dormir, ainda está aqui dentro de mim, porque a vida não nos dá, com um filho, o manual de instrução de normas e regras, e  o medo é natural para todos nós que temos filhos. Mas sabe, por mais que eu tema a maternidade e o tal fazer errado, eu nunca perderia seus momentos por nada.
Toda vez que te olho dormindo, me lembro da canção de Oswaldo Montenegro, a qual eu cantava para você dormir quando estava agitado e estávamos sozinhos em casa fugindo do inverno no qual você nasceu. Realmente é impossível explicar tudo o que sinto por ti, e que passem mais anos em sua vida, que cresça sempre cheio desse amor que é o que de mais puro eu posso lhe ofertar.
Cresce meu menino, e enquanto você anda pela vida eu fico daqui a te observar sempre, e a cada novo dia, me apaixonando por teu olhar.
TE AMO

segunda-feira, julho 04, 2016

Menina Voa

Fonte: Google Imagens

In Memória de Dayana Santos
13 de Junho de 2016

E lá vai ela, sorrindo, brincando entre as estrelas desfilando no seu. Mas esse vazio que fica em meio a noite fria só por hoje vai doer, e doendo vai me fazer lembrar das meninas brincando enquanto a gente crescia....
A beleza da boneca, tão bela com olhos castanhos cheios de vida, sempre foi uma das mais lindas meninas a desfilar na estrada da minha vida.
De ti sempre vou me lembrar da bela moça a passear, vivendo a vida na intensidade de quem sempre lutou por mais um brilho em seu caminho. E como a vida te fez brilhar, tanto que germinou deixando a todos a mais singela flor, herdeira dos teus olhos vivos, castanhos e brilhantes.
Vai menina, voar nesse céu, vai de encontro a Deus. No caminho não se esqueça de levar minhas letras para apresentar aos meus amigos poetas, virando a esquerda sei que os encontrará. Depois continua o teu caminho e lá de cima, serena vai sorrir e brilhar, sem dor, sem sofrer, menina vai descansar, vai longe ser o que só você sabe ser: luz pura a irradiar a noite de nossas vidas.


Por que Me Julgas? Sobre a Maternidade que Não lhe Interessa

Ser mãe...
Mãe que é pai, solteira, trabalhadora, casada, do lar. A maternidade te dá a opção de escolher ser tudo, menos não ser mãe.
- Deu porque quis.
- Não queria, não abrisse as pernas.
- Você estragou minha vida.
- Nossa, não conhece pílula (camisinha).
- Você vai estragar sua vida...
- Parabéns!
E assim nascem as mães, diante da incoerência, ou mesmo do involuntário medo que lhe dá de tantas mudanças em seu corpo que te assusta,  mas mesmo assim você continua sorrindo feliz, afinal, ser mãe é padecer no paraíso... O paraíso dos potinhos de conserva que servem somente como recipientes para a criação da vida de outro ser, que mesmo quando não pode ser considerado humano parece ter mais direitos que você.
Dai chega o belo dia em que a criança nasce...  Na cabeça da mãe o medo de saber se vai conseguir ser uma boa mãe, o desespero de saber se somos ou não capazes de tomar conta de uma vida que não nos pertence, mas pela qual somos responsáveis. Mesmo assim continuamos a seguir com a criança no colo, mudando nossa vida radicalmente porque esse é o nosso dever e nossa obrigação.
Mais é uma benção a visita depois que saímos da maternidade, no caso do primeiro filho:
- Meus parabéns.
- Filho é benção.
- Você nunca vai sentir amor tão verdadeiro.
Mas se acaso você teve a infeliz ideia de ter mais um filho.
- Que lindo, quando vai operar?
- Muito fofo, mas dois já tá bom né?
- Mais que belezinha... Hoje em dia é difícil criar mais de dois filhos, né?
Se você tem mais de dois filhos então.
- Essa é louca.
- Deve estar tentando ganhar uma bolsa família.
Não bastasse o julgamento eterno, se você é mãe você perde o direito de defender aquelas mulheres que escolheram não ser mães, se você defender o aborto então, certeza que é uma puta que maltrata os filhos e deixa a avó ou qualquer outro estranho criar. Se você abandona a criança com o pai, imediatamente ele se torna um santo e você a grande puta sem coração que abandonou sua cria.
Tem sempre aquelas que nada sabem da maternidade senão a ideia, a teoria, e mesmo assim insistem em julgar a mãe solteira, a mãe que defende o aborto, entre outras pautas que uma boa mãe não deve exercer. A essas mulheres apenas minha solidariedade e desejo que um dia evoluam e consigam enxergar além de suas próprias expectativas e posa desenvolver a empatia necessária para se viver em sociedade.
Toda vez, caro leitor(a), que você tiver a necessidade de falar sobre maternidade, pare, analise a consideração que vai fazer, e se não tiver certeza que sua liberdade de expressão não prejudica a liberdade do outro, pode falar, pois assim, certamente, será  somente a sua opinião.
Fonte de Imagem: Acervo Próprio

domingo, julho 03, 2016

Na Madrugada

Fonte de Imagem: Advanced Photoshop

26 de Junho de 2016

Seria estranho se eu te contar que durante a madrugada eu posso dançar com a escuridão?...
A falta de luz em mim tem me deixado negra e sem palavras, logo sinto como se eu não tivesse mais vida, por isso penso com frequência no fim que nunca vem e nas letras que não mais escrevo.
Mas essa madrugada.... Ah, a madrugada! Essa vadia gelada que me deixa louca de vontade de gritar e acordar o mundo cantando canções que eu mesma inventei. Porque só nas noites frias tenho tanta vontade de ficar nua e dançar em roda, como quem invocasse seus espíritos ancestrais.
Não sou louca, sou sabia de coração, vivo segundo a coerência do amor, logo se eu não te faço sentido, certamente é porque não te amo, sendo assim você não é ninguém para mim.

- Mas ela sempre escrevia o que sente, e se agora pouco escreve, deve não sentir mais nada. - diz sorrindo a alma de quem não se cansa de me guardar no canto do olho, naquele escuro onde ninguém me vê.
Se hoje não escrevo é porque aprendi a falar, e mesmo que ainda viva nessas madrugada frias em que a insônia me transforma em ninfa e ficou voando por meus mundos imaginários, hoje minhas palavras e voz não pertencem a mais ninguém além de mim, E mesmo com a cabeça a mil, com o pesar nos ombros de quem quer abraçar o mundo em finos braços, tenho tantos motivos para sorrir com a força de quem nunca vai desistir de viver intensamente tudo o que tiver pra se viver.
Antes de morrer tenho muito ainda por fazer, muitos cabelos negros para embranquecer, muito batom vermelho para me embelezar, muitos dias na vida para te amar.
Mais nessa madrugada fria, essa ingrata e gélida noite, desejo apenas ser a bailarina que um dia deixe desiste de ser, dançar no espaço de teus braços, trazendo calor a sua existência, delicadeza para tua triste, porque a vida, meu amado, sempre
valerá a pena.

Por Um Momento

Fonte de Imagem: Obvious

In Memória a Ana Silva,
02 de Julho de 2016
Ignorei a minha dor, deixei de lado meu sangue, peguei nos braços meus sentimentos e por um instante chorei tua ausência....
Quem eras tu pra mim? Quase desconhecida. Que eras tu para meus amores? Parte de uma vida...
Sou dotada de empatia e por conseguir sentir o sentimento alheio, choro tua ausência nessa noite fria onde o ar gelado me faz sentir que estou viva o que só aumenta minha dor.
Vai com os anjos, vai em paz. Busca no horizonte do desconhecido não perder o teu sorriso que mesmo apagado sempre será lembrado. Segue o céu de teus ideais, vai de encontro a tua paz, pois chegou o final da tua dor.
Vai alto virar lembrança, aos que ficam a esperança de como você conseguir sorrir até o dia em que partir seja a única alternativa. Eterniza, enraíza, vai morar no mundo da paz, não sentirás dor nunca mais. Eis o consolo final a todos os que te amaram em vida. Vai, Ana, descansar de tuas batalhas em sua merecida paz.

quinta-feira, maio 12, 2016

Pra Não Dizer que Não Falei do Amanhã

Fonte: Google Imagens

Diante de toda essa politica de pão e circo que tanto tem nos afetado chegando ao grande dia onde a conquista democrática do afastamento da presidenta foi concluída me coloco a refletir sobre alguns fatos que são tão descaradamente ocultos por trás do discurso de ódio de alguns políticos que nos representam.
Sabe, quando a presidenta Dilma subiu a rampa do Palácio do Planalto em seu primeiro mandato sozinha, sem um primeiro senhor foi extremamente representativo para mim e milhares de mulheres que criam seus filhos sozinhas, foi a simbologia de que o futuro poderia sorrir até mesmo para quem ousa viver sozinha após o divórcio.  Mesmo com o lindo penteado de Marcela Temer, nada foi tão lindo quando ver uma mulher subindo a rampa e recebendo a faixa de presidente da Republica.
Se apoiava o governo Dilma? Posso dizer que votei nela no primeiro mandato com desconfiança, mas não me arrependi. No segundo mandato já fazia parte da esquerda que se opunha ao governo e suas alianças desastrosas com o PMDB, mas votei novamente nela e não me julguem, afinal, o outro candidato era o Aécio.
Mas tirando sua impopularidade por ela não fazer o tipo de politico que era mãe dos pobres e pai dos ricos, nessa politica populista ultrapassada que o povo tanto almeja ver, qual foi o grande crime de Dilma? Verdade, as pedaladas fiscais que ocorreram não somente nesse governo, mas realmente é uma prática terrível para um governo patriota.
Ao lembrar de como Dilma começou e de como ela vai terminar só vem a minha mente aquela velha história de homens colocando as mulheres em seu devido lugar que, definitivamente não é na politica, ao menos que você seja bela, recatada e do lar, claro.
Todas as pessoas em periferias, em grandes centros ou mesmo em locais públicos festejando a conclusão do processo com fogos e risos, desejo a vocês que amanhã possamos acordar em um paraíso verdejante onde poderemos brincar com leões e feras selvagens, pois Deus será o senhor que guiara a nossa Pátria.
Ironias a parte, toda essa historia me faz lembrar de um livro excelente intitulado Escute, Zé Ninguém de Wilhelm Reich, que narra o desespero do homem que, podendo ser grande, mergulhou na Era do Homem Comum, por medo de assumir sua liberdade e fazer suas próprias escolhas. Nesse livro o autor nos fala sobre como sempre escolhemos o lado mais sombrio para a resolução dos nossos problemas, dando um exemplo esquerdista, como entre a democracia de Lenin, preferiram a ditadura de Stalin. Sempre escolhemos a ditadura por causa desse medo que temos de admitir que somos responsáveis pelas nossas escolhas.
E o que tudo isso tem haver com nossa atual politica? Percebam, não é ruim querer mudanças, mas não podemos continuar fingindo que não somos responsáveis por nossas escolhas.
Sabe, uma menina apanhou de policiais... Deve ter merecido certamente....
As pessoas não são capazes de se solidarizar por uma mulher que foi agredida tamanha é a pulsão de morte que estamos a engrandecer nos nossos dias. 
-Bom mesmo eram os militares no poder para o país ir pra frente. Esse era o tempo bom.
Você, louco por militarismo me diga, o que aprendeu na escola sobre os pracinhas brasileiros? Não é estranho numa ditadura militar com a disciplina de educação moral e cívica, pouco sabermos da importância dos nossos soldados, do nosso exército?
No fundo todos sabem, quem levanta essa bandeira idolatra velhos patéticos que não tiveram a coragem necessária para ir a guerra e ficaram por aqui abusando de pessoas ingenuas como as que soltam fogos diante de uma hedionda politica de pão e circo.
E só para não dizer que eu não falei do amanhã, desejo profundamente que nossa politica e economia melhore como tantos tem pintado que acontecerá, porque mesmo diante de títulos também reconheço que sou uma Zé Ninguém e por ser assim tenho verdadeira vocação para ser feliz, uma vez que reconheço e aceito meus defeitos e sei que minhas escolhas pertencem a mim.
Obrigada Dilma por toda a representatividade que um dia mostrou para todas as mulheres, por sua coragem de não querer parecer bonita, por ter subido a rampa duas vezes segura e sozinha. Através de seus olhos muitas mulheres enxergaram uma nova possibilidade em suas vidas. E mesmo não concordando com você em todas as medidas e alianças, mesmo vendo o seu governo com um tanto de desconfiança não tenho vergonha de dizer: Podem nos derrubar, mas para cada mulher derrotada duas vão se levantar, pois a vida é luta e sempre estaremos dispostas a despertar.
Ao amanhã que ira despertar, boa sorte meu país, já que isso é  tudo o que posso desejar, visto que reforma politica acaba sendo um sonho distante que jamais irão desengavetar.

terça-feira, abril 19, 2016

A Menina dos Meus Olhos





"Que lindos olhos, que lindos olhos tem você
Que ainda hoje, que ainda hoje eu reparei
Se eu reparasse, se eu reparasse há mais tempo
Eu não amava, eu não amava a quem amei"
 (Canção Folclórica)

Há três anos atras eu reinventava minha maternidade e, mais uma vez, dava a luz a uma criança. Que nasceu saudável, forte e bela, dona de olhos tão puros que pareciam enxergar dentro de mim e dizer: - Agora somos eu e você.
Admito nunca antes pensei na possibilidade de ter um outro filho, muito menos uma menina,mas a vida quis me proporcionar uma nova vivencia como mãe, talvez me trazer na maturidade o prazer de poder acompanhar o crescimento de uma pessoa. Meu primeiro filho me trouxe a força que eu não sabia que tinha, me trasformou na mulher que hoje sou e que nunca desiste de dar o melhor de si mesmo quando não acreditam em mim, minha filha me trouxe a serenidade de poder reconquistar tudo que já tinha desistido de ter em vida: casa, parceiro, familia...
Cada filho uma revolução, para cada um ofereci uma conquista pessoal e por todos os dias, mesmo cansada acordo, e tento ser melhor do que no dia anterior,  pois eles me dão força e motivos para sempre ser melhor.
Mas essa menina de lindos olhos e sorriso largo, que é moleca por ter a liberdade de ser criança, que suja de terra, ou correndo de pé no chão, sempre me faz lembrar do porque fiz a escolha por deixar vir ao mundo uma presença tão pura.
Geniosa, no auge dos seus enormes três anos, é capaz de me trasportar para mundos de historias, onde a Bruxa é sempre a personagem principal. A menina que brinca com carrinho de bombeiro e que rouba meus batons, a criança que se veste de princesa Sofia,com um sabre de luz na mão. A essa pessoinha que, em tempo integral, curte sua infância sem medo de ser criança, meus sorrisos mais largos, minhas broncas de coração apertado, meus abraços de boa noite com afago no cabelo.
Pra você, minha pequena, desejo que o tempo sempre preserve o brilho de teus olhos, que a vida nunca apague essa luz brilhante de pureza e felicidade que a cada novo dia, ilumina mais a minha vida.
Parabéns, minha pequenina. Obrigada por trazer equilibrio para minha vida.